Bandas

 
  Capital Inicial

A história do Capital Inicial começou em 1982, Em Brasília. Naquela época, a banda era formada pelos irmãos Fê (bateria) e Flávio Lemos (baixo), - ex-integrantes do Aborto Elétrico, ao lado de Renato Russo -, e Loro Jones (guitarra), vindo da banda Blitz 64.
Dinho Ouro Preto assumiu os vocais do grupo em 1983, depois de um tempo como baixista da banda "dado e o reino animal", onde também tocavam Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá.
Em julho de 1983, o Capital fez sua estréia nos palcos undergrounds de Brasília, tocando em seguida em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Em 1984, a banda já estava fazendo uma porrada de shows e no começo de 1985, assinou seu primeiro contrato, com a CBS (atual Sony). O ritmo cada vez maior de viagens (principalmente para o Sul e Sudeste) fez os integrantes se mudarem para São Paulo.
O primeiro registro em vinil do Capital Inicial, chamado ’Descendo o Rio Nilo/Leve Desespero” saiu ainda em 1985, ano em que a banda também integrou o elenco da trilha sonora do primeiro “filme-rock” nacional, “Areias Escaldantes”, de Francisco de Paula -- ao lado de Ultraje a Rigor, Titãs, Lobão e os Ronaldos, Ira!, Metrô, Lulu Santos e May East.
O primeiro disco do Capital, já pela Polygram, saiu em 1986 e foi muito bem de críticas. São músicas desse álbum: "Música Urbana", "Psicopata", "Fátima", "Veraneio Vascaína" e "Leve Desespero", entre outras. O sucesso fez com que a banda ganhasse seu primeiro Disco de Ouro.
O segundo disco dos caras, “Independência” , saiu em 1987, com um integrante a mais no grupo: Bozzo Barretti. Com músicas como “Prova”, “Independências” e a regravação de “Descendo o Rio Nilo”, também foi bem sucedido e ganhou um Disco de Ouro.
"Você Não Precisa Entender" chegou às lojas de todo o país em 1988, com mais sucessos: "A Portas Fechadas", "Pedra na Mão" e "Fogo".
1989 marca o lançamento do disco "Todos os Lados", com destaque para as faixas "Todos os Lados", "Mickey Mouse em Moscou" e "Belos e Malditos". Em 1990, a banda se apresentou no Hollywood Rock, realizado em São Paulo e no Rio de Janeiro.
Em 1991, saiu "Eletricidade". O álbum, lançado pela BMG, trazia uma versão para "The Passenger", de Iggy Pop, batizada de "O Passageiro", e composições como "Kamikaze" e "Todas as Noites". Neste mesmo ano, a banda tocou na segunda edição do festival Rock in Rio.
Em 1992, Bozzo Barretti deixou o grupo, e em 1993, divergências musicais e pessoais levaram o vocalista Dinho Ouro Preto a seguir carreira solo. Murilo Lima (Ex-banda Rúcula) assumiu os vocais e a banda lançou os discos “Rua 47”, em 1994, e “Ao Vivo”, em 1996.
Nos 5 anos seguintes, pouco se ouviu falar do Capital Inicial. Muitos até hoje pensam que a banda tinha acabado, mas a verdade é que o grupo nunca parou de fazer shows.
Em 1998, os quatro integrantes originais da banda resolvem se juntar e levantar a moral do Capital. Saiu o CD “ O Melhor do Capital Inicial” . Dinho Ouro Preto, Loro Jones, Fê e Flávio Lemos voltaram à estrada com um novo show, uma comemoração aos 15 anos da banda e aos 20 anos do nascimento do rock candango. O repertório trazia sucessos, faixas pouco conhecidas e composições de bandas que fizeram parte da cena de Brasília nos anos 80, como Plebe Rude e Legião Urbana.
Em Julho do mesmo ano a banda assinou contrato com a gravadora Abril Music, e em Setembro foi para os Estados nidos gravar o CD "Atrás dos Olhos". As músicas mais tocadas desse disco foram "O Mundo", "1999" e "Eu Vou Estar". Todas essas músicas tiveram videoclipes com grande repercussão junto ao público da MTV, sendo que "O Mundo" concorreu a cinco prêmios na edição de 99 do MTV Awards Brasil.
Neste mesmo ano, o capital lançou mais duas coletâneas pela Universal (ex-Polygram): um CD da série Millenium, com 20 músicas, e um CD de canções do grupo remixadas por produtores e DJs famosos do Brasil.
O ano de 1999 foi dedicado totalmente à uma turnê pelo Brasil. Nos shows, a banda encontrou antigos fãs da banda, amigos e um novo público – uma molecada que não conhecia os primeiros discos do grupo. Pensando nesse público novo que surgiu a idéia de se lançar um disco ao vivo, juntando novos e antigos sucessos - o álbum “Capital Inicial – Acústico MTV”, lançado no ano 2000. Esse CD é um sucesso de vendas em todo o Brasil e o Capital curte novamente seus tempos de glória.
No ano passado, o Capital Inicial anunciou a saída do guitarrista Loro Jones e a entrada de Yves Passarell (ex-Viper). Loro deixou a banda amigavelmente. Ele estava sentindo falta da família durante as longas turnês e optou por ficar o tempo todo com ela. Yves é amigo de longa data dos caras da banda e chegou até a tocar no Capital no período em que o Dinho se afastou. Junto com a notícia da nova formação da banda, veio o novo CD, "Rosas e Vinho Tinto".
 
 
 


 
  
 


RÁDIO UNIFEV FM
FREV - Fundação Rádio Educacional de Votuporanga

09/06/2004 - 11h12min