Bandas

 
  Foo Fighters

Ao contrário do que muita gente pensa,  antes de o Nirvana acabar em 1994 com o suicídio de Kurt Cobain, Dave Grohl, líder, vocalista e guitarrista do Foo Fighters, já pensava em montar uma nova banda. Ele já tinha algumas músicas e projetos na cabeça e o fim do Nirvana acabou impulsionando o surgimento do Foo Fighters. Em 1989, Dave começou a gravar uma fita demo, com 23 músicas. As gravações duraram até 1994 e foram feitas num estúdio que ficava perto da casa dele.  Quando Dave viu que o negócio podia dar certo decidiu chamar o guitarrista Pat Smear, ex-Germ e ex-Nirvana. Pouco tempo depois, ele convidou o baixista Nate Mendel e o batera William Goldsmith para se juntar à banda.

O primeiro disco do Foo Fighters, que leva o nome da banda, saiu em 1995. As doze músicas do CD foram tiradas da fita demo de Dave. Desse disco, saíram os primeiros sucessos da banda: “Big Me”, "This is a Call" e "I'll Stick Around". A formação com Dave, Nate, Pat e William durou até 1997,quando William Goldsmith decidiu deixar a banda durante as gravações do segundo CD do Foo Fighters, “The Colour And The Shape”. O cara alegou ter “outros interesses musicais “ e deu uma bica nos colegas. Pra segurar a onda, Dave assumiu a bateria. Não foi sacrifício algum: a batera é seu instrumento musical preferido. Pouco antes de o CD ficar pronto, Taylor Hawkins que era batera da Alanis Morissette assumiu a bateria dos Foo Fighters. “The Colour And The Shape” foi lançado e o sucesso veio à tona. Nesse disco estão os hits"Everlong", "MY HERO", "Monkey Wrench" e depois do lançamento, a banda deu início a uma turnê de divulgação.

Pouco tempo depois, do lançamento de . “The Colour And The Shape”, Pat Smear anunciou que estava deixando o grupo. A despedida rolou na festa do MTV Vídeo Music Awards. Em seu lugar entrou Franz Stahl, o ex-guitarrista da banda Scream, onde Dave também tocou. Franz acompanhou a banda até metade de 99. O Foo Fighters, inclusive, ficou de fora do Woodstock 99 porque estava sem ninguém no lugar dele. Ainda em 99 começaram as gravações de um novo trabalho, “There´s Nothing Left To Lose”. Depois da gravação, a banda partiu à procura de um novo guitarrista. Foi aí que Chris Shifflet entrou na banda.

Em 2002, Dave participa das gravações do terceiro disco do Queens of the Stone Age, como baterista. Participa de alguns shows ao lado da banda de Josh Homme e Nick Oliveri, e depois entra em estúdio para gravar o quarto do Foo Fighters. One By One sai no fim do ano, e embalado pelo sucesso do single All My Life, o disco é bem recebido por crítica e público. É um trabalho mais pesado e direto do que o álbum anterior, e nota-se bastante o quanto estar com o QotSA fez bem a Dave.

Chega às lojas em meados de 2005 o ainda não nomeado novo trabalho do Foo Fighters, gravado em um enorme armazém ocupado pela banda. Duplo, dividido em um disco elétrico e outro acústico, o álbum celebrará os dez anos do grupo de David Grohl, que está animadíssimo com o resultado até o momento. "É realmente incrível", disse o ex-Nirvana ao site da NME.
"A coisa boa de fazê-lo é que dividimos para que não houvesse um território intermediário. Então o material rock é o mais rock que já fizemos. O material acústico será a música mais viajante, bela e calma que já fizemos, quase como uma trilha sonora", explicou. "Acabou que está sendo realmente incrível. É realmente um tipo de recomeço para nós pois são as melhores músicas que já fizemos, mas várias são bem diferentes de qualquer coisa que fizemos antes."

 

 


RÁDIO UNIFEV FM
FREV - Fundação Rádio Educacional de Votuporanga

12/01/2005 - 12h05min