Bandas

 
  Bruce Springsteen

Bruce Frederick Joseph Springsteen nasceu em Freehold, New Jersey, Estados Unidos, no dia 23 de setembro de 1949. Filho de Adete e Douglas Springsteen, começou a se interessar pela música muito cedo, tendo como um de seus maiores ídolos o rei Elvis Presley.

Em 1965, a convite do namorado de sua irmã, Bruce começa a tocar guitarra na banda The Castiles e entra de vez para o mundo da música, contrariando os sonhos de sua mãe que queria que ele fosse escritor e de seu pai, que queria que ele fosse advogado para ter uma vida melhor. Mas a banda duraria menos de um ano.

Nos anos que se seguiram Bruce continuou investindo em novos projetos e outras bandas, mas nenhuma deu muito certo, tendo sempre curta duração, não chegavam a conseguir grande reconhecimento na mídia.

Até que em 1971 formou a ‘Dr.Zoom & the Sonic Boom’, que também teve curta duração, mas que lhe trouxe bastante experiência, pois com essa banda Bruce trabalhou com diferentes músicos, provavelmente tentando encontrar o seu caminho. E isso não demoraria a acontecer.

No ano seguinte nasce ‘E Street Band’, mas sua formação ainda não estava definida. A essa altura Springsteen já tocava sozinho em bares, foi quando conheceu Mike Appel, que se tornaria o seu manager.

Foi Mike Appel quem conseguiu uma audição de Bruce com o AR da CBS/Columbia, John Hammond.

Hammond gostou tanto do som de Bruce que na mesma hora marcou uma outra audição para Bruce, mas dessa vez com os ‘grandes’ da Columbia. A audição deu super certo, e Springsteen assina um contrato para dez álbuns com a CBS.

E finalmente em 1973 o seu primeiro álbum, "Greetings From Asbury Park, N.J.", chega às lojas, mas não teve uma grande receptividade e não foi nenhum sucesso de vendas, apesar de ter feito uma pequena turnê de divulgação e de estar, junto com a ‘E Street Band’, fazendo algumas primeiras partes dos concertos dos ‘Chicago’.

No mesmo ano Bruce grava o seu segundo álbum "The Wild, the Innocent & the E Street Shuffle", que também não teve as vendas desejadas, mas seus espetáculos ao vivo são considerados ótimos bela critica. Mas foi só em 74 que o nome Bruce Springsteen começa a ser reconhecido na música, isso por conta do sucesso de seu terceiro álbum, o "Born to Run". Em 1977 Bruce lança "Darkness on The Edge of Town".

Três anos mais tarde Bruce lança o seu álbum de maior sucesso, "The River" atingiu o primeiro lugar na lista dos mais vendidos e a música "Hungry Heart torna-se o primeiro single de Bruce a entrar para o Top 10 da Billboard.

Mas foi só em 1984 que Springsteen alcançou finalmente o reconhecimento mundial. Ao lado da ‘E Street Band’ ele lança o álbum "Born in The U.S.", que vende milhões de cópias e se mantém na lista dos mais vendidos por mais de dois anos.

Em setembro daquele mesmo ano, durante a campanha presidencial americana, Ronal Reagan fez um discurso oportunista, onde mencionou o nome de Springsteen. Dias mais tarde num concerto em Pittsburgh, Bruce respondeu com palavras amargas ao futuro presidente americano. Foi a primeira vez que o músico demostrou suas tendências políticas, o que se tornou uma marca sua. Durante as últimas eleições presidenciais nos EUA, Bruce declarou, constantemente, ser contra George W. Bush, e organizou uma pequena turnê, ao lado de outros músicos, que fazia uma campanha contra o candidato.

Bruce continua com sua carreira de sucesso, sempre lançando novidades, em 1990 grava o primeiro álbum sem a ‘E Street Band’, que só voltará a se juntar em 1998, quando gravam "18 Tracks".

Como prova do reconhecimento de seu trabalho, em 1999 ele é incluído no Hall da Fama do Rock.

O novo milênio chega e Springsteen continua sempre em destaque. Em 2001, devido aos atentados de 11 de setembro, o músico se solidariza e se envolve em diversas companhas humanitárias. No ano seguinte volta a gravar com a ‘E Street Band’, dessa vez inspirado nos acontecimentos de 11 de setembro.

Em 2003, mais uma prova do reconhecimento de seu trabalho, na 45ª edição do Grammy, Bruce é indicado em cinco categorias e volta para casa com três prêmios.

Já em 2004 o astro também não teve muito tempo para descansar, durante todo o ano aproveitou para participar de muitas entrevistas, participar de concertos e iniciativas beneficentes. Em setembro foi lançado uma compilação intitulada "Songs and Artists That Fahrenheit 9/11", organizada por Michael Moore, em que a versão de Bob Dylan "Chimes of Freedom", interpretada ao vivo por Bruce, foi a de maior destaque.

Além de se envolver em campanhas beneficentes, Bruce também foi peça chave em campanhas políticas. Foi ele quem organizou a "Voto For Change Tour", uma mini-turnê que reuniu diversos artistas com o objetivo de tentar o sistema político atual norte-americano e consequentemente o seu presidente, George W. Bush. Apesar do empenho, o objetivo não foi conseguido, apesar de dias antes das eleições a 2 de novembro, Bruce ter participado ativamente na campanha ao lado do candidato John Kerry.

Sempre original e disposto a lutar pelos seus ideais, Bruce Springsteen é um exemplo de artista bem engajado e antenado nas realidades e necessidades globais.


RÁDIO UNIFEV FM
FREV - Fundação Rádio Educacional de Votuporanga

25/04/2005 - 11h26min