HOME
RADIO UNIFEV
TORPEDO
PROGRAMAÇÃO
BANDAS
INTERNOTAS
RÁDIO AO VIVO
ESTÁGIOS E EMPREGOS
CIBER UNIFEV
CONTATO
Ouvidoria

 
 

:: Alanis Morissette

Foi no verão de 1967 que Georgia e Allan Morissette se casaram. Além de ambos serem professores e católicos; Georgia era húngara e Allan era um canadense de língua francesa. O primeiro filho do casal, Chade Morissette, nasceu em 1971. Três anos depois, Georgia ficou grávida de gêmeos e as duas crianças nasceram em Ottawa, Canadá, no dia 1º de junho de 1974: o garoto recebeu o nome de Wade e a garota foi batizada como Alanis Nadine Morissette (numa clara referência ao nome do próprio pai). Aos 3 anos de idade, Alanis e sua família se mudam para a Alemanha; onde permanecem por algum tempo. De volta ao Canadá, a garota começa a ter aulas de piano clássico, ballet, jazz e teatro.

Em 1984, Alanis integra o elenco do programa infantil “You Can’t Do That On Television” (Você Não Pode Fazer Isso na Televisão), exibido pelo canal a cabo Nickelodeon. No ano seguinte, com apenas 11 anos de idade, ela grava o single independente “Fate Stay With Me” (o vinil ainda trazia a canção “Find The Right Man” no Lado B). Um detalhe: esse álbum foi gravado com a grana recebida por sua atuação no citado programa infantil. Alanis assina contrato com a gravadora MCA em 1988 e o disco de estréia, auto-intitulado “Alanis”, é lançado em 1991 (a cantora agora tinha 17 anos). O álbum (que era baseado na dance music feita na década passada) foi inteiramente composto por ela, em parceria com Leslie Howie. O single “Too Hot” fez sucesso nas rádios do Canadá e o lançamento rendeu um disco de platina. Alanis ainda ganhou um JUNO (versão canadense do Grammy americano) na categoria de cantora revelação.

Com a fama repentina, não demorou muito para que o segundo álbum fosse lançado. “Now Is The Time” (Agora é a Hora) chegava às lojas em 1992, novamente lançado pela MCA. Musicalmente falando, esse disco apresentava uma visível mudança: o estilo dance da cantora agora dava lugar à várias baladas que, obviamente, tornaram o álbum bem menos dançante que o anterior. No geral, as novas composições realmente estavam mais maduras e consistentes. A repercussão do lançamento até que não foi das piores e o “Now Is The Time” ganhou disco de platina no Canadá, apesar de não ter feito o mesmo sucesso do primeiro álbum. Desiludida com a própria carreira, ela decide se mudar para Los Angeles. O Serviço de Imigração americano a classifica como uma “estrangeira com talentos especiais” e, assim que chegou, Alanis foi assaltada (os ladrões, inclusive, apontaram um revólver para a cabeça dela).

Foi na Cidade dos Anjos que ela conheceu o produtor Glen Ballard, que já havia trabalhado com artistas como Quincy Jones e até Michael Jackson. Os dois começam a compor juntos e as canções (nem um pouco ingênuas, diga-se de passagem) estão cada vez mais voltadas ao rock. Uma demo da cantora foi parar na Maverick Records, gravadora da poderosa Madonna, que não deixou passar a oportunidade de contratá-la. O álbum “Jagged Little Pill” (Remedinho Amargo) é lançado em 1995, tendo como primeiro single a furiosa “You Oughta Know” (que contou com as participações especiais do baixista Flea e do guitarrista Dave Navarro, ambos do Red Hot Chili Peppers). Nessa música, Alanis desabafa sobre um ex-namorado que a trocou por outra perguntando, entre outras coisas, se a garota fazia sexo oral no cinema tão bem quanto ela!

O sucesso comercial do disco foi impressionante: “Jagged” manteve-se 65 semanas na lista dos álbuns mais vendidos nos EUA; faturando 4 prêmios Grammy e 3 estatuetas no Video Music Awards da MTV americana. Não bastasse isso tudo, Alanis ainda garantiu um lugar no Guinnes Book, como a cantora que mais vendeu em um único disco: 27 milhões de cópias em todo o mundo. A turnê mundial para promover o álbum durou exaustivos 15 meses e o Brasil também entrou no roteiro. Em outubro de 1996, Alanis fez dois shows em São Paulo e um no Rio de Janeiro; todos com lotação esgotada. Na época, a cantora aceitou o convite do diretor global Wolf Maia e participou do seriado juvenil “Malhação”, interpretando ela mesma. Outras canções de “Jagged” que se tornaram singles foram “Ironic”, “You Learn”, “Hand in my Pocket” e “Head Over Feet”.

A turnê do disco chega ao fim em dezembro de 1996. No começo de 1997, Alanis tira férias e viaja para a Índia; ficando um mês por lá com algumas amigas e familiares. Ela estava cansada da estressante vida na estrada e andava pensando até em abandonar a carreira para abrir um bar... O tempo passou e, felizmente, Alanis mudou de idéia. A cantora entra em estúdio no início de 1998 para gravar o próximo álbum, que ficou conhecido como “Supposed Former Infatuation Junkie” (Suposta Ex-Viciada em Paixão), novamente lançado pela Maverick em novembro do mesmo ano. Dessa vez, Alanis co-produziu o disco ao lado de Glen Ballard. Parece que essa viagem influenciou bastante o resultado final do álbum, já que ela experimentou novos instrumentos em suas músicas e várias letras foram compostas no período em que permaneceu na Índia. Um caso claro disso foi a canção “Thank U”, onde a cantora agradece ao país a até ao silêncio! O videoclipe da música causou polêmica por mostrar Alanis nua, perambulando pelas ruas de Las Vegas.

Esse disco era bem mais calmo do que “Jagged” mas, de qualquer forma, não deixava nada à dever ao seu antecessor. Alanis continuava misturando o rock com elementos eletrônicos, em belas canções como “Baba”, “Would Not Come”, “One” e “That I Would Be Good”. Foi também nesse mesmo mês de novembro que a cantora veio pela segunda vez ao Brasil, fazendo um showcase em São Paulo só para convidados. Na entrevista coletiva que deu por aqui, ela prometeu que retornaria ao país para realizar um show aberto ao público. Ainda em 1998, Alanis compôs a música “Uninvited” para o filme “Cidade dos Anjos” (com Meg Ryan e Nicholas Cage), fez uma pequena participação no filme “Dogma”, de Kevin Smith (onde interpretou o papel de Deus!), gravou as músicas “Don’t Drink The Water” e “Spoon” com Dave Matthews Band e cantou em três faixas no álbum “Vertical Man”, do eterno beatle Ringo Starr.

Além de “Thank U”, o disco ainda rendeu mais dois singles: “Unsent” e “So Pure”. O álbum não foi inteiramente compreendido pelo grande público e a cantora não repetiu as vendagens do seu disco anterior (“Supposed Former” chegou a marca de 8 milhões de cópias). Em fevereiro de 1999, Alanis ganhou 2 Grammys pela canção “Uninvited” e, em julho, ela se apresenta na reedição do festival de “Woodstock”. Talvez por causa do disco não ter vendido tanto, a cantora lança em novembro do mesmo ano o malfadado “MTV Unplugged”. Alanis mantém a mesma fórmula de sucesso do programa, desfilando seus antigos hits com novos arranjos acústicos (ela, inclusive, toca violão, gaita e flauta no especial). Como novidades, são incluídas três músicas inéditas (“No Pressure Over Cappuccino”, “Princess Familiar” e “These R The Thoughts”); sem contar a versão que a cantora gravou do clássico “King of Pain”, do The Police.

Foi também nesse mês de novembro de 1999 que Alanis voltou ao Brasil para os prometidos shows no país (tocando mais duas vezes em São Paulo e uma no Rio de Janeiro). No começo de 2000, a cantora resolveu se dedicar a uma peça de teatro chamada “Vagina Monologues”, escrita pela jornalista Eve Ensler. A carreira musical acaba ficando um pouco de lado e, durante o ano, a única notícia que temos dela é a sua polêmica participação na série “Sexy in the City”, interpretando uma lésbica. Alanis entra no estúdio no início de 2001, para gravar o próximo álbum (prometido para o final do ano); só que ocorrem alguns desentendimentos entre a cantora e a Maverick. Vários boatos confirmavam a saída dela da gravadora mas, na verdade, Alanis exigiu uma melhor divulgação em seu próximo trabalho (coisa que não havia acontecido em “Supposed Former”). Como ambas as partes chegaram a um acordo, a Maverick confirmou o lançamento do novo CD.

Devido aos ataques terroristas ao World Trade Center em 11 de setembro, a cantora cancelou um show que faria em Washington e disponibilizou em seu site oficial (www.alanis.com) a canção inédita “Utopia”, que foi dedicada à todas as vítimas diretas ou indiretas da tragédia. Em novembro de 2001, Alanis recebe da ONU um prêmio por sua dedicação às causas humanitárias. No final desse ano é divulgado que o novo disco da cantora, chamado “Under Rug Swept” (Varrido para Debaixo do Tapete), só seria lançado no próximo ano. Depois de 3 anos sem produzir nenhum material inédito, Alanis finalmente lança “Under Rug Swept” em fevereiro de 2002, tendo como primeiro single a música “Hands Clean”.

Ela compôs cerca de 30 músicas para o álbum, mas apenas 11 canções entraram em “Under Rug Swept”. Ficou decidido que o restante do trabalho seria lançado pela Maverick em um EP no final de 2002. A cantora assina a composição, interpretação e produção de todas as faixas do disco (essa foi a primeira vez que ela não trabalhou com o antigo parceiro e colaborador Glen Ballard). O álbum é repleto de participações especiais, como é o caso do baixista Flea (novamente convocado), Eric Avery (que já tocou com o Jane’s Addiction), Meshell Ndegeocello (que já tocou com a Madonna e os Rolling Stones) e do pianista Richard Causon. No novo disco, não há nenhuma música falando de Deus ou espiritualidade, ao contrário dos últimos álbuns. Na canção “21 Things I Want in a Lover”, ela descreve as 21 coisas que deseja em um homem. Já “So Unsexy” fala dos momentos de baixa auto-estima vivido por todos nós.

Na mesma semana em que o disco foi lançado, Alanis veio novamente ao Brasil. Também não houveram shows nessa ocasião. Ela realizou apenas um showcase para 300 pessoas dentro do Projac (complexo de estúdios da Rede Globo em Jacarepaguá, RJ). A emissora gravou o evento e o exibiu em doses homeopáticas no “Fantástico”. A pedido da própria Alanis, metade dos convites teriam que ser distribuídos entre os fãs (que os disputaram em sorteios feitos em programas de rádio, sites, etc). Novamente esbanjando simplicidade e simpatia, a cantora prometeu mais uma vez que retornaria ao país para novos shows. Também tornaram-se singles desse álbum as músicas “Precious Illusions” e “21 Things”.

Em 10 de dezembro, é lançado o CD e DVD “Feast on Scraps” (Banquete de Sobras). O pacote especial traz 8 músicas que ficaram de fora de “Under Rug Swept” e as imagens do DVD saíram de um show na Holanda, realizado em agosto de 2002. Em março de 2003, o sensacionalista jornal inglês “The Sun” publicou uma matéria afirmando que Alanis era bissexual. Segundo o jornal, a própria cantora teria admitido em uma entrevista que ela já teve “uma relação completa com uma mulher” e que sentia “atração física por mulheres o tempo todo”. No início de abril, foi divulgada a notícia que a cantora começaria a trabalhar em um novo disco até o final do mês.

Entrevistada pela revista Rolling Stone, Alanis disse que o álbum refletiria o momento em que o mundo vive atualmente (com material inspirado pelo conflito no Iraque), mas espelhado na sua vida pessoal. Ao mesmo tempo em que compunha e gravava para o próximo disco, a cantora não interrompeu a maratona de shows e ainda encontrou tempo para participar do filme “Just One of Those Things”, que é baseado na vida de Cole Porter (compositor de vários musicais da Broadway). Alanis fará o papel de uma atriz contratada para um dos musicais; nessa produção que está sendo rodada em Londres e conta com os atores Kevin Kline e Ashley Judd nos papéis principais.

No mês de maio, foi noticiado que a cantora viria novamente ao Brasil em setembro, para participar de um festival em Brasília. Segundo um dos promotores do evento, Alanis tinha receio em relação à falta de tradição da capital federal em sediar shows internacionais e a cantora teria imposto a condição de que outras atrações internacionais deveriam ser confirmadas para atrair público ao “Brasília Music Festival”. Verdade ou não, as bandas Live, The Pretenders e Simply Red também confirmaram presença no festival e Alanis agendou a sua participação para o dia 25 de setembro.

Enquanto se apresentava no Peru em 21 de setembro, a cantora se despediu do público com a frase “Obrigada Brasil!”. Na entrevista coletiva que deu em São Paulo no dia 23, ela contou que não se lembrava de ter tido tal frase mas, bem descontraída, explicou que pode ter feito confusão com o nome do país por causa da ansiedade que sentia em tocar por aqui. Os jornalistas brasileiros também perguntaram sobre o novo visual da Alanis, que agora exibia um cabelo curto. Em relação ao look diferente, a cantora afirmou que estava envelhecendo e encarava a mudança como algo natural.

Depois da coletiva, Alanis ainda fez compras na Rua Oscar Freire (de onde saiu cheia de sacolas) e se despediu da capital paulistana tocando em uma festa exclusiva para convidados (promovida pelo Canal Fox) na casa de espetáculos “Via Funchal”. A cantora fez o seu show em Brasília no dia 25 e de lá partiu para o Rio de Janeiro, onde se apresentou em 27 de setembro. Aproveitando o tempo livre, Alanis também gravou uma pequena participação na novela “Celebridade”, da Rede Globo.

Em entrevista para a MTV Brasil, a cantora adiantou que o novo álbum se chama “So Called Chaos”, tem 10 músicas e está em fase de mixagem. Ela acha que o disco vai ser lançado ainda este ano.


Rádio UNIFEV FM - Esta Rádio Pega!!!
01/06/2004 - 11h21min
imprimir
 
 
  3 Doors Down
  AC/DC
  Aerosmith
  Alanis Morissette
  Alice in Chains
  Angra
  Arnaldo Baptista
  Audioslave
  Avril Lavigne
  B-52’s
  Barão Vermelho
  Biquíni Cavadão
  Black Sabbath
  Blink-182
  Blur
  Bob Dylan
  Bruce Springsteen
  Camisa de Vênus
  Capital Inicial
  Charlie Brown Jr.
  Chico Science e Nação Zumbi
  Coldplay
  CPM 22
  Detonautas Rock Clube
  Dire Straits
  Duran Duran
  Eminem
  Evanescence
  Faith No More
  Foo Fighters
  Green Day
  Guns n' Roses
  Heart
  Information Society
  Ira!
  Jack Johnson
  Jota Quest
  Kiss
  Legião Urbana
  Linkin Park
  Los Hermanos
  Magazine
  Metallica
  Midnight Oil
  Mutantes
  Nando Reis
  Nirvana
  O Rappa
  Oasis
  Patu Fu
  Pearl Jam
  Pink Flyd
  Pitty
  Pixies
  Plebe Rude
  R.E.M
  Raimundos
  Ramones
  Raul Seixas
  Red Hot Chili Peppers
  Rush
  Siouxsie And The Banshees
  Skank
  Skid Row
  System of a Down
  Talking Heads
  The Beatle
  The Clash
  The Cure
  The Deep Purple
  The Doors
  The Police
  The Smashing Pumpkins
  Tihuana
  Tina Turner
  U2
  Ultraje a Rigor

RÁDIO UNIFEV FM - Fundação Rádio Educacional de Votuporangas
Rua Pernambuco, 4196 - (17) 3405 9996 - CEP 15500-006